É possível curar a depressão com acupuntura!

A depressão, os transtornos de ansiedade e os relacionados ao estresse eram comuns no Brasil e no mundo, mesmo antes da pandemia da Covid-19. Entretanto, epidemiologistas em todo o mundo têm alertado os governos para um aumento exponencial de casos relacionados ao novo coronavírus.

Entendendo a situação 

A figura abaixo mostra uma projeção sobre a evolução da pandemia de Covid-19 e suas consequências sobre a saúde física e mental das populações nos próximos meses.

 

 

 

 

Vemos que o aumento dos pacientes graves pela Covid-19 da 1ª onda da pandemia em curso já sobrecarrega as equipes de saúde e consome insumos. Isto já está acontecendo em diversas partes do mundo. Junto a isso, os casos de emergências que não tem relação com Covid-19, como infarte agudo do miocárdio, crises diabéticas (2ª onda), dentre outros, continuam chegando ao pronto socorro com demanda de leitos de UTI.

Consequências do coronavírus 

Isto é, todo este remanejo das equipes para atendimentos de casos agudos e o receio do paciente de sair de casa interrompem os cuidados preventivos de doenças crônicas, comodiabetes, hipertensão, cardiopatia e obesidade. Além disso, isto também sobrecarregará a rotina de clínicas, consultórios e de outros serviços básicos de saúde (3ª onda).Projetamos que a “4ª Onda” de consequências psíquicas da pandemia deverá se sobrepor às anteriores e superar o número de casos já enfrentados pelo sistema de saúde no mundo. Um número alarmante de transtornos mentais, como os transtornos de ansiedade, a depressão e o transtorno de estresse pós-traumático desafiarão os sistemas de saúde do mundo nos próximos meses a anos.

Transtornos mentais e seus efeitos

Os problemas de saúde mental estão aumentando durante a pandemia de Covid-19 e o isolamento social forçado, segundo estudo da Universidade do Estado do Rio (UERJ). Publicado online pela The Lancet, embora ainda sem revisão, o levantamento revelou que casos de ansiedade e estresse mais do que dobraram, enquanto os de depressão tiveram aumento de 90%.

Diante disto, podemos dizer que a ansiedade é uma reação normal ao ser humano, que pode surgir como um alerta que nos prepara a algum novo desafio, facilitando a adaptação. Porém, quando esta sensação vira parte da rotina, com preocupação excessiva, piora na qualidade de vida, dificuldades para dormir, crises de medo, pânico, tristezas excessivas, deve ser investigada e tratada. 

Se os sintomas estão atrapalhando a vida diária, causando sofrimento, deve-se procurar ajuda especializada. O tratamento pode ser realizado de diversas maneiras, com terapias, meditação, medicamentos. Uma ótima opção terapêutica com bons resultados é a acupuntura.

Como a acupuntura pode ajudar?

A Acupuntura é uma das técnicas baseadas na Medicina Tradicional Chinesa (MTC), que consiste, principalmente, na inserção de agulhas para a estimulação de regiões anatômicas sobre a pele, chamados de Pontos de Acupuntura.

De acordo com a medicina ocidental, é um método que estimula a liberação de substâncias químicas, que atuam sobre o sistema nervoso, promovendo o equilíbrio do organismo.

Atualmente, a técnica da acupuntura busca ajudar os canais energéticos do corpo (meridianos), de acordo com o equilíbrio de Yin e Yang e, consequentemente, a normalização de funções alteradas, reforço do sistema imunológico e controle da dor. Ela pode ser utilizada em vários tratamentos, podendo obter diferentes tipos de resultados. A acupuntura pode aliviar muitos problemas, dentre eles a depressão.

Acupuntura e depressão 

A inserção de agulhas estimula terminações nervosas existentes na pele e nos tecidos subjacentes, principalmente nos músculos, atingindo neurotransmissores responsáveis pelo controle do humor e das emoções, como serotonina e dopamina, que geram sensação de prazer e bem-estar, tendo o mesmo efeito de alguns medicamentos antidepressivos. 

A acupuntura tem inúmeros benefícios, mas a maior vantagem é que ela enxerga e trata o corpo como um todo, proporcionando uma melhora geral e não possui efeitos colaterais, como os remédios.

Estudos de neuroimagem que avaliam o fluxo sanguíneo cerebral encontraram que a acupuntura pode estimular áreas cerebrais responsáveis pela emoção, como o sistema límbico, córtex e tronco cerebral. Outro estudo americano encontrou que a acupuntura pode reduzir a liberação de hormônios relacionados ao estresse.

Agulhas mágicas? Entenda!

O estímulo das agulhas desencadeia muitos efeitos importantes, como analgésico, anti-inflamatório, relaxante muscular e sobre os sistemas endócrino e imunológico. L

aubé conclui: “Ao inserirmos agulhas de acupuntura em pontos específicos do corpo de pacientes que sofrem com a depressão é possível liberar substâncias neuromoduladoras, que normalizam funções motores sensoriais, autonômicas, neuroendócrinas, de controle de expressão emocional, por isso o paciente se sente melhor”.

 

Compartilhar:
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Dra. Tania Matsura
Carregar mais em Medicina tradicional chinesa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Como a acupuntura pode ajudar no tratamento para o câncer

Quem poderia imaginar que pequenos estímulos causados por essas minúsculas agulhas poderia…